Ingredientes Especiais

Destaque

Inaugurada na última sexta-feira, 29, o Escritório da Superintendência Federal de Agricultura no Paraná na Área de Controle Integrado Zoofitossanitário Brasil e Paraguai, em território estrangeiro.

O evento ocorreu às 11 horas no horário brasileiro, no anexo da Administração Nacional de Navegação e Portos do Paraguai – ANNP, em Cidade do Leste, e contou com a participação do Secretário de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo do MAPA, Erikson Camargo Chandoha, representando o Ministro da Agricultura, Wagner Rossi, do Superintendente Federal de Agricultura no Paraná, Daniel Gonçalves Filho, do Secretário Estadual de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho, do Deputado Moacir Micheletto, representando o Parlamento do Merco-sul - Parlasul, do Secretário Municipal de Assuntos Internacionais de Foz do Iguaçu, Sérgio Lobato da Mota Machado, do Diretor de Comércio Exterior da Associação Comercial e Industrial de Foz do Iguaçu, Mário Camargo, dentre outras autoridades
A nova Unidade é vinculada ao Sistema de Vigilância Agropecuária Internacional - Vigiagro, e terá como missão realizar as inspeções fitossanitárias em cargas paraguaias de grãos que ingressam no Brasil e que transitarão pelas rodovias paranaenses em direção ao Porto de Paranaguá e, também, dos hortifrutigranjeiros que saem das Centrais de Abastecimento do Paraná - Ceasa com destino ao Paraguai, de forma a dar mais celeridade aos processos de importação e exportação.

Segundo Chandoha, o desembaraço fitossanitário entre os dois países ficará mais rápido e barato, aumentando a competitividade do agronegócio. “Com essa integração o Brasil, somente através dessa fronteira, poderá ampliar em cerca de 30% as exportações de grãos oriundas do Paraguai” diz ele.
O Superintendente da SFA no Paraná, Daniel Gonçalves Filho explicou “estamos colocando em pratica o que está estabelecido no Acordo de Recife, facilitando o comércio e agilizando o desembaraço aduaneiro entre os países do Merco- sul. Essa era uma reivindicação de mais de 20 anos por parte do segmento dos transportes, além disso, nos últimos 10 anos, foram significativas as perdas com as movimentações das cargas de importação e exportação que migraram para os por- tos da Argentina.”

Daniel Gonçalves disse, ainda, que do ponto de vista técnico “com a possibi- lidade de realizarmos o controle dos produtos agropecuários importados do Paraguai, na origem, iremos atingir a curto prazo o nível de excelência deste controle e da prevenção zoofitossanitária de pragas e doenças que possam prejudicar a agro- pecuária dos países que integram o bloco do Mercosul.”

O Paraguai produz hoje 12 milhões de toneladas de grãos, sendo 8 milhões de soja e 2 milhões de toneladas de milho, 1,5 milhão de trigo dentre outros. Do montante destinado à exportação, 95% seguem para os portos da Argentina e apenas 5% passam pela fronteira entre Ciudad del Este e Foz do Iguaçu com destino aos portos brasileiros.”

Momento da assinatura do primeiro termo de liberação zoofitossanitária na aduana.
Autoridades brasileiras e paraguaias descerram a placa inaugural.

A Área do Controle Integrado já conta com todo o mobiliário e equipamentos necessários ao bom andamento das atividades, bem como veículos oficiais e uma plataforma de auxílio aos fiscais federais no trabalho de inspeção das cargas.

O ato de inauguração também contou com as presenças do Vice-Ministro da Agricultura e Pecuária do Paraguai, Andres Wherhe, do Presidente da Administração Nacional de Navegação e Portos - ANNP, Vidal Francia Zaracho, do Presidente empresário Marcel Micheletto e o Sedo Serviço Nacional de Qualidade e Sanidade Vegetal - SENAVE, Miguel Lovera, do Diretor da Direção Nacional de Aduanas - DNA, Miguel Ángel Acosta Castro, dentre outras autoridades paraguaias.